Inicio | Apresentação | Programação | |Simpósios Temáticos | Oficinas

Mini-Cursos

Mini-Curso 01

Título: Manifestações Religiosas Populares e Ensino de História
Proponente: Prof Ms. Océlio Teixeira de Souza - URCA
Turno: Noturno - 30 vagas

Justificativa: O Cariri é um grande centro de religiosidade popular do Brasil. A maior expressão dessa religiosidade são as romarias de Juazeiro do Norte em devoção ao Padre Cícero Romão Batista. Além dessa expressão, existem várias outras, muitas vezes esquecidas e/ou relegadas a um segundo plano, inclusive pela própria sociedade regional. Nesse sentido, propiciar um debate acerca das diversas manifestações religiosas populares do Cariri através da história significa contribuir para um maior conhecimento da temática.

Ementa:Conceito de religiosidade popular. Manifestações religiosas populares no Cariri: romarias de Juazeiro do Norte, Festa do Pau da Bandeira e outras expressões religiosas da região.Possibilidades de trabalho da temática em sala de aula.

Metodologia:Exposição, leitura, debate e levantamento de campo sobre manifestações religiosas do Cariri.

Objetivo: O objetivo principal do mini-curso é possibilitar aos participantes um debate acerca do rico patrimônio religioso popular do Cariri e discutir possibilidades de trabalhar essa temática em sala de aula - ensino de história.


Mini-Curso 02

Título: Entre a linha das contradições: As múltiplas visões sobre o cangaço e seu “Rei”
Proponente: Wescley Rodrigues Dutra - Mestrando em História Regional - UFPB
Turno: Diurno - 30 vagas

Na história do Nordeste o cangaço apresenta-se como um movimento de extrema conotação e importância para a região, permanecendo até hoje vivo na memória dos sertanejos que relembram nas suas conversas cotidianas os causos feitos pelos famosos cangaceiros. Esses são admirados, amados e ao mesmo tempo odiados.

Sobre esses “Guerreiros do Sol”, como diria Frederico Pernambucano de Melo, foi sendo construídas múltiplas narrativas, seja pelos populares que viveram na época do apogeu desse movimento, ou pelos jornais da época que foram porta-vozes da elite e do Estado desejosos de exterminar esses “bandidos”, como pensavam.

O maior nome que congrega o que é ser realmente um cangaceiro será Virgolino Ferreira da Silva, vulgo Lampião, que é elevado após a sua morte ao patamar de “Rei do Cangaço”. Lampião é uma das figuras mais contraditórias da história nordestina.

O mini-curso terá como metodologia a exposição oral do tema, discussão em sala com os participantes, a exibição de documentários e a analise das imagens fotográficas que caracterizam o cangaço.

Objetivos: Analisar como foi sendo construído o discurso em torno da figura histórica de Virgulino Ferreira da Silva, Lampião, como um dos símbolos da cultura popular nordestina, ao mesmo tempo em que sua imagem será usada para forjar a identidade do Nordeste em 1950.
Confrontar o discurso oficial dos jornais com o da memória popular, identificando o momento em que esses se cruzam e divergem, buscando assim refletir qual a importância do “Lampião mito” para o Nordeste e o nordestino.


Mini-Curso 03

Título: A arte do “bem-morrer”: ritos, práticas e lugares de purgação no Cariri (Século XIX)
Proponentes: Edianne dos Santos Nobre - Mestranda em História –UFRN
Jucieldo Ferreira Alexandre - Mestrando em História - UFPB
Turno: Noturno - 30 vagas

Esse mini-curso pretende apresentar a temática da religiosidade católica popular a partir da compreensão dos ritos e práticas (orações, votos, sufrágios) que envolvem a morte bem como da espacialização dos lugares relacionados à morte e às almas cristãs (Paraíso, Purgatório e Inferno). No universo religioso cristão do século XIX no Brasil, o problema da salvação da alma se realça sobremaneira, na medida em que, toda e qualquer prática cristã é voltada para a eminência da morte. Para um cristão a vida é por si mesma uma preparação para a morte, para o julgamento final e a provável recompensa: permanecer ao lado de Deus por toda a eternidade. No sul do Ceará, esses elementos devocionais eram bastante perceptíveis, pois eram frutos da forma como a região foi colonizada nos séculos XVIII e XIX, através das missões evangelizadoras, principalmente aquelas dirigidas pelos capuchinhos italianos, que introduzem na região uma prática religiosa baseada na condenação dos pecados, na busca pela salvação e no medo perante o “fim dos tempos” onde a ênfase era principalmente nas práticas de caráter devocional coletivas como festas, procissões e novenas. Nesse sentido, nossa análise recai sobre dois aspectos: 1) a análise dos diversos ritos que envolvem a morte e a preparação da alma, onde os registros apontam para elementos rituais dos sepultamentos, tais como a presença, ou não, da extrema-unção, encomendação do corpo, a cor e modelo das vestes mortuárias, o local da inumação, entre outros; e 2) para a discussão sobre os espaços de purgação da alma presente na literatura de prédicas do século XIX, especificamente aquela situada no campo da “espiritualidade do terror”, como o livro “A Missão Abreviada”, escrito e editado originariamente em Portugal em 1859, pelo padre Manuel José Gonçalves Couto, sendo que a primeira edição brasileira data de 1871. Nossa proposta é, pois, discutir os ritos fúnebres e os cuidados com as almas, bem como a espacialização dos lugares destinados às almas a partir da análise de uma geografia do além, com ênfase no Purgatório cristão.

Objetivos: Discutir as possibilidades de estudos e pesquisas sobre a religiosidade no Cariri cearense; Apresentar a religiosidade a partir da noção do espaço e das representações espaciais; Promover discussões sobre a utilização de registros paroquiais e da literatura religiosa como fontes documentais válidas para problematização dos aspectos sociais e culturais da região;

Nossa metodologia de trabalho envolve a apresentação do tema a partir da discussão sobre as fontes documentais que serão apresentadas: registros paroquiais e a literatura de prédicas.

Mini-Curso 04

Título: A África e a Educação Afro-Brasileira no Ensino de História
Proponentes: Profª Ms. Enilce Lima Cavalcante De Souza – IFCE
Vilarin Barbosa Barros Mestrando em História - UECE
Turno: Noturno - 30 vagas

Justificativa e Metodologia: A partir de várias reivindicações dos setores engajados na luta social, foi aprovada a Lei Federal 10.639 que destaca a obrigatoriedade de inclusão de História e Cultura Afro-brasileira e Africana nos currículos da Educação Básica e as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) das Relações Étnico-raciais para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana; Assim, salienta-se a necessidade de pensar a respeito das abordagens relacionadas ao Continente Africano e questão afro-brasileira no Ensino de História. Através de debates de textos e reflexões sobre diferentes linguagens que abordem a África e suas diversidades e o processo de construção e aplicação da Lei Federal 10.639.

Objetivos: Perceber a África como um Continente plural e complexo; Compreender a Lei 10.639 e as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) das Relações Étnico-raciais para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana; Refletir como o Ensino de História pode abordar a questão afro-brasileira no cotidiano escolar.


Mini-Curso 05

Título: História e tradição oral: abordagens e perspectivas de pesquisa
Proponente: Cícero Joaquim dos Santos - Mestrando em História e Culturas - UECE
Turno: Noturno - 30 vagas

Justificativa e Metodologia: Perante a renovação historiográfica do século XX, novos olhares para objetos antes desprezados, fontes não valorizadas e sujeitos silenciados demonstraram o alcance de novas perspectivas e abordagens para o oficio do historiador. Nas emergentes possibilidades de pesquisa a metodologia da história oral vem ganhando cada vez mais credibilidade e conquistando espaços antes renegados a sua prática. Nesse sentido, imerso no universo da oralidade e imbricada em subjetividades e sensibilidades dos narradores, a tradição oral, como fonte e objeto de estudo, é bastante reveladora das experiências sociais do passado. De igual modo, pode ser elucidativa a relação entre passado e presente, envolvendo as circunstâncias sociais da contemporaneidade. Além disso, possibilita compreender as mudanças e permanências de práticas, embates pela memória, representações sociais, (re)invenções e (re)significações de ações e sentidos. Entre a tradição oral e a história novas problemáticas estão surgindo, o que contribui para o debate acadêmico e, conseqüentemente, à (re)elaboração de conceitos e posturas escritas em projetos de pesquisas, divulgados em eventos acadêmicos e publicações das mais diversas. Por tudo isso, acreditamos ser de inestimável valor a discussão relacionada às questões tocantes à tradição oral, suas problemáticas e perspectivas de pesquisas desenvolvidas pelos historiadores da cultura. A metodologia trabalhada será através de aulas explicativas e debates de textos relacionados à temática proposta. Além disso, a exibição do filme Narradores de Javé possui relevância, visto que, apresenta detalhadamente questões pertinentes à proposta.
Objetivo Geral: Refletir sobre o alcance da tradição oral como fonte e objeto de estudo para os historiadores e sua contribuição para o entendimento das experiências sociais marcadas pelas sensibilidades dos sujeitos.
Objetivos específicos: Contribuir para a compreensão das questões teórico-metodológicas do trabalho de pesquisa a partir da metodologia da história oral; Possibilitar o entendimento da relação entre história cultural e tradição oral, dando destaque às subjetividades dos narradores; Dialogar problemáticas e perspectivas de pesquisas relacionadas à tradição oral.

Mini-Curso 06

Título: Do folclórico ao popular: representações e apropriações de práticas populares no Cariri
Proponente: Simone Pereira da Silva, Mestranda em História - UFPB
Turno: Noturno - 30 vagas

Nos últimos anos do século XX e início do XXI, houve a disseminação de apresentações de práticas “folclóricas” em vários eventos turísticos e culturais na região do Cariri. Esta iniciativa remete-se à ação desenvolvida por intelectuais ligados ao Instituto Cultural do Cariri – ICC na década de 1950, e posteriormente apropriada por algumas municipalidades da região, com objetivo de proporcionar uma maior visibilidade às festas locais, produzindo uma ressignificação ou reinvenção nos saberes dos participantes. Esse mini-curso pretende apresentar a temática dos saberes “folclóricos” a partir da compreensão das práticas e representações sociais operadas a partir da interferência pública. Nesse contexto, buscamos mediante a análise sobre Michel de Certeau e de Roger Chartier, entender os mecanismos de inversão e reapropriação por parte das classes populares, que buscavam extrair das circunstanciais melhores condições (econômicas, dentre outras) para si ou para seu grupo. Bem como, refletir sobre a utilização das fontes na problematização de projetos de pesquisa. Nossa metodologia de trabalho envolve a apresentação do tema a partir da discussão sobre as fontes orais, jornais e revistas. Dessa forma, pretendemos perceber – a partir destas fontes, os resultados das relações sociais no desenvolvimento das manifestações da cultura popular, refletindo em mudanças simbólicas e costumeiras nas práticas, bem como, a construção de novas representações, condizentes com os interesses em jogo.
Objetivos: Discutir as possibilidades de estudos e pesquisas sobre os saberes e práticas “folclóricas” no Cariri cearense; Refletir sobre as mudanças simbólicas e costumeiras ocorridas nas práticas da cultura popular; Promover discussões sobre a utilização das fontes orais, jornais e revistas na problematização dos projetos de pesquisa que se relacionam ao tema.

Mini-Curso 07

Título: Memória, História e Educação Patrimonial
Proponentes: Ane Luíse Silva Mecenas, Especialista - UFPB
Magno Francisco de Jesus Santos, Mestre - UFS
Turno: Noturno - 30 vagas

Justificativa e Metodologia: O curso se propõe a desenvolver as relações entre patrimônio e História no sentido de evidenciar a cultura material e imaterial como elemento que representa o passado e estabelece suas relações com o presente a partir da sua preservação.
Objetivos: Compreender a questão patrimonial no Brasil; Aprender o patrimônio como fonte de informação que sustenta a produção do conhecimento sobre o passado; Compreender o uso educativo de museus, arquivos, bibliotecas e monumentos como possibilidade de representação das relações sociais, religiosas, de trabalho de qualquer grupo social.

Mini-Curso 08

Título: Lugares de Memória: novos locais de aprendizado para o profissional de História.
Proponentes: Almir Félix Batista de Oliveira – Mestre em História - ANPUH-RN
Profª. Drª. Margarida Maria Dias de Oliveira – UFRN
Turno: Noturno - 30 vagas

Este Mini-curso pretende discutir os lugares de memória como novos locais de aprendizagem para o profissional de História. Os museus, os memoriais, os centros de documentação, a própria cidade na utilização/re-significação dos seus lugares e na construção do seu patrimônio, entre outros, são lugares dotados de uma função pedagógica e que podem e devem ser explorados pelo profissional de História no sentido de facilitadores do processo ensino-aprendizagem e de transmissão do conhecimento histórico.
Questões Preliminares. O que são lugares de memória? O patrimônio histórico, o museu, o memorial, o centro de documentação: constituição, construção de identidade e preservação da memória. O caráter pedagógico e a transmissão do conhecimento através do lugares de memória; A Educação Patrimonial: elo de ligação entre os lugares de memória e o Ensino de História Experiências de aprendizado e atuação de profissionais da História em lugares de memória.


Mini-Curso 09

Título: O Ensino de História da América na sala de aula: Abordagens e Metodologias.
Proponente: Profª Drª Paula Cristiane de Lyra Santos - URCA
Turno: Manhã - 30 vagas e Noite - 30 vagas

______________

Mini-Curso 10

Título: História Local e ensino de História
Proponente: Profª Ms. Maria de Fátima Moraes Pinho - URCA
Turno: Manhã - 30 vagas

__________________

Mini-Curso 11

Título: História cultura e africanidades no ensino de história: Leituras historiográficas e práticas pedagógicas.
Proponente: Profª Ms. Maria Telvira da Conceição - URCA
Turno: Manhã - 30 vagas

Justificativa e Metodologia: Partindo de uma leitura problematizadora da Historiografia brasileira acerca do negro e das demandas sociais e legais para a inclusão da História e da Cultura Africana e Afro-brasileira no ensino Escolar, esse mini-curso se propõe contribuir com a discussão sobre o ensino dos elementos afro-brasileiros no ensino de história escolar, a partir dos focos da produção historiográfica sobre o negro e das práticas pedagógicas.
O mini-curso será desenvolvido a partir da leitura de textos teóricos sobre a temática; discussão de propostas de práticas metodológicas para o ensino dos elementos culturais e históricos dos afrodescendentes no ensino básico de história; e apresentação de capoeira.

Mini-Curso 12

Título: Diálogos e reflexões contemporâneas: O ensino de história e as novas tendências historiográficas
Proponente: Prof. Ms. Reinaldo Forte Carvalho - URCA
Turno: Manhã - 30 vagas

O debate a respeito das novas tendências teóricas da história suscita uma intensa reflexão sobre a produção da escrita historiográfica contemporânea em relação à prática do ensino de história atualmente. Nossa intenção é promover uma reflexão acerca desta questão que envolve a problemática das novas tendências teóricas presentes na produção da escrita da historiográfica em relação ao ensino de história atualmente. Conteúdo programático: A Escola dos Annales e a “revolução” na historiografia francesa na primeira metade do século XX; História Social Inglesa: Crítica à Ortodoxia Marxista; História Cultural e a Cultural Study: A Nova História e as migalhas da história. Debate e reflexão sobre as novas tendências historiográficas dentro da prática dos novos procedimentos do ensino de história através da utilização de textos e apresentação de slides e transparências.

 

Mini-Curso 13

Título: Democracia e instituições politicas no Brasil: partidos, eleiçõese voto a partir dos anos 90
Proponente: Profª. Francisca Fernando Anselmo
Turno: Manhã - 30 vagas

Ementa: Identificar e discutir elementos indicadores de avanços e recuos em relação à democracia no Brasl a partir dos anos 90, notadamente, no âmbito da politica. Ao mesmo tempo, averiguar a configuração do sistema partidário brasileiro nesse periodo e sua relação com o sistema eleitoral e com consolidação da democracia.

 

Mini-Curso 14

Título: História e Cinema
Proponente: Profa. Virgínia Soares e Amanda Gonçalves.
Turno: Manhã - 30 vagas

Ementa: O mini-curso tem como objetivo promover uma reflexão sobre a relação entre Cinema e história considerando três possibilidades: A primeira refere-se ao uso de filmes na qualidade de fontes isto é, como documento como aponta Ferro (1997), com relação à linguagem cinematográfica “Esta possui um texto visual que merece, como o texto escrito, uma análise interna e externa e como artefato cultural possui sua própria História”. Nesta perspectiva como sugere Ramos(1991) “com base nesta linha de trabalho, o pesquisador tanto pode obter informações ligadas à realidade imediata como pode colher dados relativos aos dilemas religiosos, aos problemas filosóficos ou, ainda, ás perspectivas políticas”. A segunda possibilidade de estudo e pesquisa é comumente definida como a história do cinema. E a terceira possibilidade trata-se do uso do filme na sala de aula que necessita de um tratamento didático metodológico. De maneira que, trabalharemos em primeiro momento o filme como fonte documental de pesquisa para o historiador; num segundo momento trabalharemos a história do cinema privilegiando o cinema brasileiro e a produção local do Cariri especialmente da cidade de Crato; e num terceiro momento o uso do texto visual (filme ou documentário) nasala de aula com uma proposta metodológica.

Mini-Curso

Título:
Proponente:
Turno: Manhã - 30 vagas

Ementa

Mini-Curso

Título:
Proponente:
Turno: Manhã - 30 vagas

Ementa