Inicio | Apresentação | Mini-Cursos | Simpósios Temáticos | Programação

Oficinas

Oficina 01

Título: Fontes históricas: limites e possibilidades de uso no ensino de história
Proponente: Prof Ms. Jane Derarovele Semeão e Silva - URCA
Turno: Tarde - 20 vagas

Justificativa: Faz algum tempo que o livro didático já não é mais o único recurso didático utilizado pelos professores em sala de aula. Mudanças no ensino de história, acompanhadas de uma renovação historiográfica nos finais do século XX, contribuíram para pensar o uso pedagógico do documento histórico no ensino básico. Dentre alguns dos motivos apontados para o professor lançar mão desse recurso estão o fato de seu uso didático possibilitar ao aluno desenvolver o pensamento histórico, a análise histórica e dialogar com realidades passadas.
Objetivos: Refletir sobre a relação documento e construção do conhecimento em história no ensino básico. Trabalhar com algumas fontes históricas pensando nos seus possíveis usos e limites no ensino de história na escola.

Oficina 02

Título: Fontes documentais na pesquisa histórica
Proponente: Cecília de Menezes Sobreira Cunha – Graduanda - URCA
Íris Mariano Tavares Graduanda - URCA
Turno: Tarde - 10 vagas

Em um curso superior de História, o ensino e a pesquisa devem ter uma relação de complementaridade, condição fundamental para o desenvolvimento do futuro profissional de história. Entre as diversas possibilidades o trabalho com fontes primárias permite a articulação entre a teoria e a prática, ao mesmo tempo que desenvolve habilidades necessárias ao bom desempenho do professor-pesquisador.
Objetivos: identificar diversos tipos de documentos históricos; conhecer o processo de catalogação da documentação; discutir as possibilidades de pesquisa tendo como fontes, inventários e processos criminais.

Oficina 03

Proponentes: José Cláudio Leôncio Gonçalves - Graduando – URCA
Marcus Vinicius Santana Lima - Graduando – URCA
Turno: Tarde - 20 vagas

A partir da década de 1970, o filme começou a ser visto como um possível documento para investigação histórica. Isso ocorreu em conseqüência de um processo de reformulação do conceito e dos métodos da História, iniciado com o desenvolvimento da Escola dos Annales, na França. Foi nesse momento, de absorção de novos objetos e de novos métodos, que surgiu o trabalho do historiador francês Marc Ferro, no artigo “O filme: uma contra análise da sociedade?”, publicado no ano de 1971, no livro “História, novos objetos”, de Jacques Lê Goff e Pierre Nora. O filme, desde então, passou a ser encarado enquanto testemunho da sociedade que o produziu, como um reflexo não imediatamente dado das ideologias, dos costumes e das mentalidades coletivas: “Resta agora estudar o filme, associá-lo com o mundo que o produz. Qual a hipótese? Que o filme, imagem ou não da realidade, documento ou ficção, intriga autêntica ou pura invenção, é História. E qual o postulado? Que aquilo que não aconteceu (e por que não aquilo que aconteceu?), as crenças, as intenções, o imaginário do homem, são tão História quanto a História” (FERRO: 1992). Contudo, se o início de um estudo mais apurado sobre a relação História-cinema data de aproximadamente quatro décadas, ainda se encontra longe de atingir uma situação de determinado conforto no que diz respeito à formulação de uma estrutura teórico-metodológica consistente.Por isso, creditamos a validade do nosso trabalho, pois, pretendemos desta forma contribuir para o debate sobre a produção do conhecimento histórico através do cinema. Do mais, trazer essa discussão para o curso de História da URCA, porque, tendo em vista a finalização de nenhum trabalho acadêmico dentro do curso, no que diga respeito a essa relação, isso acontece, nada menos, como conseqüência da falta de discussões sobre.
Metodologia: Para o desenvolvimento da discussão teórico-metodológica acerca da ligação entre História e cinema, utilizaremos um material bibliográfico direcionado, especialmente, do autor Marc Ferro. Porém, o que não exclui a contribuição de outros autores que mais recentemente vêm fortalecendo para tal discussão.
Além de aulas expositivas, finalmente intecionamos em realizar a apresentação de pelo menos um filme, provocando diálogo entre teoria e prática.
Objetivo: Discutir pressupostos teórico-metodológicos que fundamentam a relação História-cinema. Introdução no curso de História da URCA, ao debate sobre a produção do conhecimento histórico a partir do cinema. Exibição de filmes, propiciando na prática o entendimento da teoria.

Oficina 04

Título: Processo de colonização do Brasil:, a colonização vista através da disputa entre católicos e protestantes
Proponente: Francisca Jaquelini de Souza Viração - Graduanda do 8º semestre do curso de História da URCA
Turno: Tarde - 20 vagas

Justificativa: O Brasil teve quatro projetos de colonização, um católico, o português e três protestatntes, a França Antártica e Equinocial e o Brasil Holandês, como de fato os portugueses consolidaram sua conquista e como eles criaram uma mentalidade luso católica no Brasil, será a discussão central da oficina, através da análise da disputa entre esses projetos colonizadores. Através da análise da documentação tanto de protestantes como católicas, principalmente as famosas cartas tapuias, as Atas da Igreja Reformada Holandesa, as cartas enviadas para Calvino da França Antártica e o relatório da missão de Pe. Vieira à Serra da Ibiapaba. A oficina será realizada através da análise da documentação citada, buscando perceber essa disputa. Além dos documentos, vídeos também serão utilizados para facilitar a leitura dos documentos pelos alunos.
Objetivos: Ver nossa colonização através da disputa dos projetos católico e protestantes.


Oficina 05

Título: Linguagens e recursos computacionais no ensino de história
Proponente: Anderson Feliciano Venâncio – Graduando - URCA
Turno: Tarde - 20 vagas

Justificativa: Nos últimos tempos buscam-se diversos caminhos para tornar a aprendizagem mais eficiente, em particular no ensino de História, sobretudo com a incorporação de diferentes linguagens no processo ensino-aprendizagem. Entre as possibilidades de inovação estão os jogos eletrônicos de computador, alternativa para ampliar o diálogo entre o ensino de História e as metodologias que atualmente compõe o repertório das possibilidades de construção da história e do seu ensino.
Objetivos: O principal objetivo da oficina é refletir sobre as possibilidades de utilização dos jogos de eletrônicos no ensino de história, a partir do exemplo do jogo eletrônico Age Of Mithology. Socializando uma discussão entre o conteúdo programático da disciplina de História com o jogo proposto. Compreendendo o espaço escolar como um ambiente de construção do conhecimento, experiência e socialização do saber-conhecer.

Oficina 06

Título: Documentos e Fontes de Estudo
Proponente: – Prof. Ms Fatiana Carla de Araujo- URCA
Turno: Tarde - 20 vagas

Justificativa:

 

Oficina 07

Título: Técnicas de Pesquisa Em História
Proponente: – Prof.Rubia Micheline - URCA
Turno: Tarde - 20 vagas

Justificativa :Técnicas da pesquisa em História. Identificação e levantamento de fontes. Uso de diferentes técnicas que envolvem o exercício da pesquisa histórica.

Oficina 08

Título: Olhe,Pense e Fotografe
Proponente: – Allan Bastos- URCA
Turno: Tarde - 20 vagas

Justificativa:. A legitimidade da fotografia faz com que ela seja documento histórico e em cada fotografia deve existir um motivo suficiente para justificá-la. Essa informação é mais importante do que se acredite, pois antes de tirar determinada foto, o fotógrafo não deve dispensar uma compreensão total dos motivos que levaram a fazer determinada foto. O fotografo deve ter consciência plena do seu ato antes de apertar o botão, não basta competência técnica para realizar boas fotografias, é imprescindível ter consciência, pense primeiro, fotografe depois.

 

Oficina 09

Título: “Geografia Social: Uma Metodologia de Construção Coletiva da Realidade Social”
Proponente: João Paulo Flores e Sólon Alexandre de Morais- Graduando- URCA
Turno: Tarde - 20 vagas

Justificativa:

 

Oficina 10

Título: Vivência e Saberes de um povo: Barbalha uma visão histórica mostrada através de suas ruas e prédios.
Proponente: – Gledson Alves Rocha – Graduando - URCA
Turno: Tarde - 20 vagas

Justificativa: